terça-feira, 8 de setembro de 2015

Médico irlandês que descobriu como realmente Elvis morreu

Um professor da Irlanda do Norte tem sido creditado por ter estabelecido a causa exata da morte de Elvis Presley – e finalmente colocar de lado o resto das selvagens teorias de conspiração sobre como ele morreu.

As descobertas revolucionárias de Stephen Kingsmore, tendo por base o ADN, e que fez no ano passado, são agora aceites nos círculos médicos como a explicação definitiva sobre o motivo que levou Elvis a morrer com apenas 42 anos de idade, e foram apresentadas no programa televisivo britânico, “Dead Famous DNA”.

O Dr. Kingsmore (54 anos) licenciou-se na Queen’s University, em Belfast, em medicina, cirurgia e obstetrícia, em 1985, e é agora um reconhecido ginecologista. Ele analisou uma amostra do cabelo do cantor mais bem sucedido do mundo, que apontou para o facto de Presley sofrer de cardiomiopatia hipertrófica – uma doença que provoca o aumento do coração e um enfraquecimento do músculo cardíaco.

A super estrela americana, Presley, apresentou muitos dos sintomas desta doença, incluindo uma batida cardíaca irregular, fadiga, desmaios e elevada tensão arterial.

Viciado em comida não saudável e comprimidos prescritos, morreu na casa de banho da sua mansão, Graceland, em Memphis, no Tennessee. E se bem que tenha sido oficialmente registado que morreu de falha cardíaca, uma especulação constante sobre a sua morte continuou durante quase 40 anos.

O Dr. Kingsmore disse ao programa “Dead Famous DNA”, do Channel 4, que os resultados indicam que seria injusto culpar o estilo de vida do cantor pela sua morte.

Acrescentou: “Tem havido tanta especulação sobre a causa da morte e tanto mal se tem falado do seu estilo de vida, que achamos que esta descoberta intrigante de Elvis ter uma doença médica e tudo o que se tem dito sobre como ele se matou e sobre o seu estilo de vida, são muito injustos.”

Se bem que a sua pesquisa sobre o caso Presley tenha elevado o seu perfil público, o Dr. Kingsmore já é bastante conhecido nos círculos médicos.

O seu trabalho como Professor em múltiplos departamentos da Universidade do Missouri e Diretor do Centro para a Medicina do Genoma Pediátrico no Children’s Mercy Hospital, em Kansas, tem comandado um elevado respeito dentro da sua profissão.

O Dr. Kingsmore foi recentemente nomeado um dos médicos Medscape do ano e até teve o seu trabalho apresentado no Top 10 da revista Time por descobertas inovadoras feitas em 2012.

“Tenho uma grande equipa de pesquisa e parte do tempo passamo-lo a fazer pesquisas intensas, para tentar descobrir coisas novas,” afirmou.

Leia aqui a matéria original

By Elvis 100% - Still Rockin'! Portugal

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Elvis não usava drogas e não morreu de overdose!

Raul Lamim, médico brasileiro que participou da necrópsia de Elvis Presley e teve acesso a todo o seu prontuário médico (todo ano Elvis fazia um checkup completo no Hospital Batista de Memphis), afirma categoricamente: "em nenhum exame, tanto da necropsia quanto durante todas as vezes que Elvis passou pelo hospital, foi constatado algum indicio de drogas, álcool ou fumo. Elvis não tinha nenhum tipo de vício deste tipo!"

Translate

Canal ESTB

Seguidores